Por aí:
Na minha tv

O que eu aprendi com Gilmore Girls

Aprendi que a vida, na maior parte do tempo, é bem normal e que café resolve quase tudo, e aí que está a graça.

Sabe aquele tipo de série que você se identifica com os personagens, com a história, com as manias, com a cidade, mesmo não tendo NADA a ver com você? Aí a gente começa a confundir a realidade, falar como os personagens, aumentar o número de cafés no dia, sonhar e ficar preocupada com o que aconteceu e sente uma saudade enorme quando acaba como se fossem amigos que não se veem há muito tempo? Aconteceu comigo.

Assisti um pouco de Gilmore Girls quando tinha 14 anos, eu tinha acabado de operar da coluna e minha irmã assinou tv a cabo para que eu pudesse me distrair, mas não estava acostumada a ver séries naquela época, não entendia o que estava acontecendo e dormia entre um episódio e outro. Daí que a Netflix anunciou que haveria um revival e colocou as sete temporadas em seu catálogo e o que aconteceu? Isso mesmo, maratona regada a café (claro) e pipoca.

As últimas semanas tem sido assim, eu aqui na minha vida mas a cabeça em Stars Hollow. É um absurdo a quantidade de puxões de orelha que um episódio simples, de quarenta minutos, de uma vida normal, de diálogos gigantes e muito rápidos, podem dar na gente. E o girl power? Presente o tempo todo.

Os medos, as inseguranças, a ansiedade, os relacionamentos complicados, os filmes com pizza à noite, o jeito de pedir café, a dor, a raiva, os pulinhos de felicidade. Tudo. Igualzinho. Um cotidiano que estamos carecas de conhecer me fez ver a beleza da vida.

Assistam.

Eu queria escrever um texto super especial falando do meu amor intenso pela série, mas assim como a Lorelai ficou dias para escrever a carta de caráter do Luke eu também estou há dias tentando e não consigo. A diferença é que ela conseguiu (e arrasou!), já eu, não tenho tanta certeza rs.

BEDA #15 – em agosto tem post todos os dias!

assinatura

Gostou do post? Compartilhe :)
Anterior Próximo

Gostou desse? Tem mais:

Comente pelo Facebook

5 Comentários

  • Reply Aline Amorim

    Eu não assistir essa série na minha adolescência. E graças ao Netflix estou assistindo agora. Amo cada episódio, cada história e cada diálogo! Estou no final da quarta temporada.
    Beijos

    22 de agosto de 2016 at 11:27
    • Reply Stéphany

      É muito amor mesmo <3

      22 de agosto de 2016 at 11:44
  • Reply lua

    Lembro ele como Tal mãe, tal filha na SBt, mas assistia episósios espaçados, que bom que agora tenho a oportunidade de assistir novamente.

    22 de agosto de 2016 at 14:32
  • Reply is

    esse seriado é muito, muito, muito maravilhoso! já perdi as contas de quantas vezes assisti e, claro que estou assistindo tuuuudo de novo! engraçado que, quando era mais nova eu achava a lorelai a perfeição, continuo achando ela incrível mas vejo diversos problemas com ela. amo a rory até a metade do seriado haha
    beijos =****

    22 de agosto de 2016 at 14:55
  • Me conta o que achou!