Cinema: Jurassic World – O mundo dos dinossauros

on
in

Demorou mas chegou. Desde 1993 os fãs da saga mais jurássica das telonas estavam ansiosos por um retorno a ilha de Nublar para ver como o trabalho do Dr. Hammond foi concluído. E finalmente o retorno aconteceu. Em 1993, no primeiro filme o parque é aberto para um passeio-teste inaugural e, claro, nada deu certo.

jurassic-park-large-picture-1024x678
1993 – filme clássico e a impressionante sequência do T-Rex, assusta até hoje

Quatro anos depois, em 1997, o Mundo Perdido foi lançado, mas a aventura aconteceu numa ilha ao lado da Nublar e no final ainda trouxeram o T-Rex para o meio da cidade grande. Filme fraquinho…

the-lost-world-1
1997 – o segundo filme é ruim e com personagens irritantes

Mais quatro anos se passaram e em 2001 o terceiro episódio voltou à uma outra ilha, ainda mostrando os dinos em cativeiro e os homens como objeto de caça.

tvpark-yurskogo-perioda-3_img_0
2001 – o bom terceiro filme, homenageia o primeiro e empolga

Agora, com Jurassic World, o parque finalmente está aberto e funcionando.

Jurassic-World-park
Muito medo, morte e sangue, mas você não iria querer ir num parque assim?

continue lendo

Cinema: A Teoria de Tudo

on
in

Sou Fabio Calamari Miranda. Apaixonado pela minha mulher e minha filha. E também, mas em menor medida, é claro, por cinema. Sempre quis ser cineasta, por enquanto não rolou, mas preencho esse vazio falando sobre. E lembro direitinho quando o gosto por cinema começou. Foi durante uma noite, o SBT anunciou um filme chamado Pulp Fiction, que tinha recebido vários prêmios e era muito violento, era o que a chamada dizia. Assisti de boca aberta, entendendo pouco e quis ver de novo para ligar os pontos que ficaram faltando. No final de semana passei na locadora e fiquei vendo as caixinhas de VHS, lendo e relendo todos aqueles nomes – direção, edição, iluminação, roteiro, atores e atrizes – comecei a me interessar pelos bastidores, por saber como toda a história daquele e de outros filmes começou. Cresci, veio a internet e uma enxurrada de informações. Hoje uma das minhas diversões prediletas é falar sobre cinema, conhecer a fundo personalidades e personagens, saber quem fez o quê e com quem. Criei esse blog – cujo título remete diretamente a uma fala do meu filme preferido – e venho postando aqui semanalmente minhas opiniões sobre curtas e longa metragens, sobre dramas e comédias, sobre ficções e documentários, de todas as épocas e todos os países. Espero que goste… mas não necessariamente concorde com as minhas opiniões.

Cinebiografias são sempre interessantes, porque retratam uma realidade – sempre romanceada – geralmente dura e sofrida. Alguém já se pegou pensando que a vida de Stephen Hawking daria um filme? É fácil falar agora, mas eu já. E deu. A partir de um livro lançado pela primeira esposa de Hawking contando seus anos de namoro, casamento e filhos. A Teoria de Tudo é o resultado dessa adaptação e traz uma equipe afinada. A começar pelo casal protagonista.

A Teoria de TudoRealidade e ficção

Eddie Remayne vive Hawking, um nerd que tenta provar suas teorias físicas mais “absurdas” e quando o faz deixa colegas e professores boquiabertos. Aos poucos, com delicadeza, o filme vai pontuando as dificuldades que Hawking enfrenta em seu dia a dia por conta de uma doença degenerativa. Ele passa a não conseguir segurar uma caneta, levantar uma caneca ou simplesmente andar.continue lendo